Olá pessoal

Hoje vim trazer mais uma conversinha, dessa vez é sobre o livro Passarinho da autora Crystal Chan.
Um livro sensível e doce ao mesmo tempo. Gostei muito e chorei horrores no final.

Estava meio de saco cheio e queria um livro "de chorar" e eis que peguei essa belezinha da estante e foi uma surpresa positiva.

Leitura rápida e fluida, personagens interessantes e intensos, uma boa pedida para os dias frios que virão (será?) rsrs

Indico!



Bom, com esse livro participo dos seguintes projetos/desafios:
- Leitura Inesquecível 2016 - outono
- Projeto Tem que ler mesmo? Ásia
- Desafio para a vida - livro capa azul
- #52em52 - semana 38

Até a próxima!

bjsss
Olá pessoal

Já está no canal o vídeo dos mangás que li (Hamlet e O grande Gatsby) e também a graphic novel Caravaggio - a morte da virgem!

Vem espiar...


beijosss
Olá pessoal

Saiu o 3º vídeo do projeto Lendo Crônicas e Contos lá no canal no youtube. Corre espiar!


beijossss

<3
Oláááááááááá

Olha eu aqui de novo! rs

Sabe aqueles livros que te deixam com um sorriso no rosto? (acho que já usei essa expressão por esses dias com outro livro, mas tá valendo!), pois é, esse livro é desses. Despretensioso e muito bom. Eu tenho esse livro há anos, lembro que comprei pela capa que achei linda, sem nunca ter ouvido falar dele ou da autora, e foi uma grata surpresa! Leiturinha mais gostosa.

Cultura totalmente adversa da nossa, o que me fez pensar que os orientais tem mesmo uma pegada mais light da vida, uma busca de espiritualidade maior do que nós, os ocidentais. A personagem é maravilhosa, um exemplo de simplicidade, humildade, amor ao próximo e que em sua jornada sofreu, amou, foi amada e se descobriu. Se tornou ela mesma, se aceitou, se transbordou. Amei demais!

Sei que não é um livro muito conhecido, mas super indico a todos. Ah, também tem uns fatos históricos bem legais e uma pegada bem leve da Segunda Guerra, contando o lado da ocupação japonesa, nesse caso na Malásia e a sua derrocada quando perderam a guerra.


Segundo romance da malasiana Rani Manicka, autora de Trilha de sonhos, a chegar ao Brasil pela Rocco, A amante do general japonês traz de volta um pouco dos costumes, da cultura e dos mitos orientais por meio da história de Parvathi, uma mulher de origem simples nascida no Ceilão que, ainda jovem, é vendida por seu pai a um malasiano rico. Com uma trama cheia de surpresas e uma prosa envolvente, a autora acompanha a trajetória desta personagem cativante que, apesar de não ter qualquer poder sobre seu destino, sempre se manteve fiel a sua essência e, acima de tudo, nunca deixou de sonhar com um grande amor.

No livro, a jovem Parvathi é uma mulher sonhadora e capaz de encantar qualquer pessoa que a cerque, menos seu próprio marido, Kasu Marimuthu, homem de muitas posses na Malásia, mas que também coleciona cicatrizes ao longo da vida, o que acaba por torná-lo um pouco frio e insensível em seu relacionamento.

Sua indiferença pela esposa, no entanto, tem início logo no começo do relacionamento, quando percebe que foi enganado pelo pai da menina, que havia lhe enviado uma fotografia de uma moça diferente e mais bonita do que Parvathi.

Apesar disso, com o passar do tempo, Marimuthu vai reconhecendo na esposa uma mulher bonita e, acima de tudo, virtuosa e dedicada; aos poucos, a pequena Sita, como ele mesmo a chamava, vai ganhando a sua confiança, mas jamais o seu coração e o amor que ela tanto sonhara em ter na vida.

Ao longo da história, diversos ensinamentos, costumes e crenças orientais são transmitidos, de forma agradável e natural na trama. Também aparecem personagens com grande carga espiritual, como Parvathi mesma designa: Maya, a curandeira, e Kupu, o profeta. Mas a história não para por aí. Quando o leitor já não espera mais que Parvathi encontre seu grande amor, eis que surge um surpreendente romance.

Em meio a uma grande tensão na Malásia, com o país sendo invadido por tropas japonesas, Parvathi fica viúva e tem que enfrentar a chegada dos soldados da Terra do Sol Nascente apenas com a sua própria força interior, seu pequeno filho Kuberan, sua enteada Rubini e Maya, a antiga empregada da casa que se tornara sua fiel escudeira e grande amiga. Mas este talvez seja o momento mais importante da vida de Parvathi. Apesar de perder praticamente todos os bens herdados do marido, ela ganha algo que jamais o dinheiro pagaria, uma experiência única de amor que marca sua vida para sempre.



Bom, entao é isso por hoje.

Com esse livro participo dos seguintes projetos:
- 52em52
- Leitura Inesquecível
- Desafio O vendedor de livros (livro escolhido pela capa)
- Desafio para a vida (cultura muito diferente da sua)
- Desafio esquecidos na estante (atrasada de março) livro escolhido pela capa
- Projeto Tem que ler mesmo? (Ásia)

Beijossss
Olá meu povo

Olha eu aqui com mais um projetinho básico, hehehe

Mas não se assustem e nem me chamem de louca (ainda), porque não tenho a pretensão de ler os 1001 livros do livro. Já o li, marquei ele todinho que ficou até bonito de se ver e sim, tem vários títulos que já estavam na minha lista de leitura, vários outros que já tenho os livros em casa ainda a ler, então mais um projetinho para a vida toda.

Tenho que dizer que amei o livro, ele é lindo, todo ilustrado, papel maravilhoso e com muita muita coisa legal em termos de conteúdo, no prefácio o organizador do livro, Peter Boxal logo deixa claro que muitas obras importantes foram deixadas de lado e outras com certeza escolhidas porque eram favoritas dos colaboradores (mesmo se observando a importância do livro escolhido). Enfim, é como eu sempre digo, essas listinhas e livros como esses não são absolutistas, acabam sendo um pouco pessoais sim.
A arte de contar histórias é intrínseca à natureza humana - seja para transmitir conceitos morais, registrar acontecimentos históricos, relembrar a vida de uma grande personalidade, por puro entretenimento, ou, como Sherazade, para viver por mais um dia. 

Desde As mil e uma noites, as narrativas de ficção exercem grande fascínio e influência sobre as pessoas. Seduzidos pela leitura, inúmeros jovens descobriram seu talento e se tornaram escritores. Livros inspiram outros livros numa progressão tão espantosa que fica difícil para qualquer um acompanhar todas as opções disponíveis. 

1001 livros para ler antes de morrer reúne algumas das obras de ficção de maior impacto da história.
De clássicos como Dom Quixote, de Cervantes, e Os Lusíadas, de Camões, até os mais recentes e inovadores, como Almoço nu, de William Burroughs, e Tudo se ilumina, de Jonathan Safran Foer, você encontrará aqui títulos que marcaram época, dos mais diversos estilos e para todos os gostos. 

Com resenhas elaboradas por uma equipe de escritores, críticos literários e jornalistas internacionais, este livro poderá guiá-lo pela história da literatura mundial. 
E, para darmos mais destaque à produção literária de língua portuguesa, incluímos nomes como Aluísio de Azevedo, Lima Barreto, Lygia Fagundes Telles e Mia Couto. 

Não importa se você está escolhendo sua próxima leitura, tentando encontrar o presente ideal para um amigo ou se deseja conhecer um pouco mais sobre grandes obras e seus autores, 1001 livros para ler antes de morrer é perfeito para todos os que gostam de ler. 



Há algumas divisões, como, obras que antecedem os anos 1800,,,depois de 1800 a 1900 e por fim 2000. Achei interessante observar que a maioria dos meus livros lidos (senão a metade) foram leituras que correspondem até os anos 1800, ou seja, os clássicos mais antigões mesmo.



As marcações em laranja são de livros JÁ lidos

Em azul, os dois que estou lendo no momento.

Roxo e verde (sim as flags roxas acabaram antes do livro) rsrs, são de títulos que já tenho em casa, ainda a serem lidos.

E por fim, as amarelas são os que quero ler ainda antes de morrer!


Eu digo que esse livro será meio que um livro de cabeceira, um guia e referencias para o futuro.
Super indico!

** Gravei um vídeo falando mais sobre o livro pessoal, vem espiar!**


Então é isso por hoje, pessoal

Beijos
Olá pessoal

Eis que voltei para mais uma conversinha sobre um livro policial! Domínio sombrio foi a minha primeira experiencia com a autora Val McDermid e posso dizer que gostei do livro de uma forma geral. No começo achei meio cansativo, não consegui me conectar aos personagens, acho que por conta das inúmeras situações e personagens apresentadas, portanto achei o início meio arrastado.

Mas....depois o livro engrena e você não quer mais largá-lo!!! Ontem era quase 3h da madrugada e eu não conseguia me desgrudar, porém ainda faltava umas 70 paginas e não conseguiria terminar, fui dormir bem agitada, kkkkk

O final não é daqueles felizes para sempre sabe? é bem atípico, o que pode agradar a uns e outros não. Eu achei condizente!

Enfim, indico para os amantes de livros policiais.


Passado e presente se entrelaçam em um sensacional suspense psicológico


Aparentemente, apenas um crime não resolvido: uma rica herdeira e seu filho são sequestrados e, após o resgate, ela aparece morta e a criança some sem deixar rastros. Mas, após quase 25 anos, a jornalista Bel Richmond, sem querer, descobre uma pista que pode trazer novamente o caso à tona. Esse é o pano de fundo de Domínio Sombrio, novo romance de Val McDermid, finalista do Los Angeles Times Book Prize como melhor thriller de 2009.



Ao mesmo tempo, a investigadora de casos arquivados e protagonista da trama, Karen Pirie, está investigando outro caso ocorrido em 1984, ano da maior greve de mineiros da Escócia. Na ocasião, o líder sindical Mick Prentice é acusado de ter se unido aos fura-greves e ido morar em outra cidade. Porém, novas evidências sugerem que o desaparecimento de Mick pode não ter uma explicação tão simples assim, e a policial se vê envolvida num nevoeiro sombrio de segredos, traições e assassinatos.



Em Domínio Sombrio, passado e presente se entrelaçam em um romance psicológico que explora a relação entre desejo e ganância. Val McDermid narra de maneira única a tensão entre um caso praticamente esquecido e os fatos do presente que, aos poucos, vão surgindo durante o livro. Um thriller inteligente que fará a autora ganhar milhares de novos fãs.



Com esse livro participo dos seguintes desafios:
- Leitura Inesquecível 2016 - outono
- 52em52 - semana 32
- Grande desafio do Culto Booktuber


Vejo vocês em breve!

beijoss

Olá pessoal

Como prometido, fiz um vídeo sobre esse livro ilustrado com assuntos importantes e polêmicos.

Corre espiar...


Olá pessoal

Eis que terminei mais um livro encantador e emocionante...De volta para casa da autora Susan Wiggs (é o segundo livro dessa autora que leio e posso dizer que realmente gosto muito dela).

Sabe aqueles livros que te deixam com aquela sensação boa e otimista o tempo todo? com picos sentimentais? que retrata o cotidiano com pitadas de drama? pois é,  é o estilo dessa autora pelo que percebi e que realmente define esse livro.

Gostei muito mesmo e super indico para quem quer fazer uma leitura agradável e que te deixa com o coração aquecido quando o finaliza.

Bora ler meu povo!!!

Uma história de amor entre irmãs, de conceitos familiares, reencontros, reaproximação, sonhos vividos e sonhos perdidos...Tem de tudo um pouco aqui.

Em sua carreira como fotojornalista, a aventureira Jessie Ryder sempre viu o mundo através das lentes de sua câmera. Contudo, jamais viajou longe o suficiente para escapar de um fato doloroso que a vem assombrando ao longo dos últimos dezesseis anos: o dia em que deu sua filha recém-nascida para adoção. Agora, em meio a uma crise que alterará sua vida para sempre, Jessie decide colar os cacos de seu coração partido e seguir em busca de Lila, mesmo que isso signifique abalar o mundo de sua mãe adotiva... sua própria irmã, Luz. De Volta para Casa, o novo romance de Susan Wiggs após o sucesso de Mesa para Cinco, apresenta uma comovente trama sobre a vida em família, que faz com que o leitor reflita sobre os recomeços que a vida oferece e o imenso poder curativo do amor.

Como um tornado irrompendo na vida supostamente perfeita da irmã, Jessie volta à sua cidade natal, no Texas, com um pedido avassalador: quer contar a verdade à filha. Ao mesmo tempo em que Luz e o marido se esforçam para lidar com os efeitos que o retorno de Jessie possa surtir na rebelde Lila, seu casamento, aparentemente sólido, vacila. Antigos segredos são expostos. Então, exatamente quando Jessie acerta as contas com o passado, a ironia agridoce do destino entra em ação. Jessie encontra Dusty Matlock, um jovem pai que sobreviveu a uma perda devastadora, e começa a ver surgir as possibilidades de esperança que se escondem nas mais terríveis tragédias.

"De Volta para Casa é um livro encantador, delicado e inteligente", afirma a também escritora Luanne Rice. "Com notável segurança, humor e compaixão, Susan Wiggs escreve sobre a relação entre irmãs, sobre crianças, sobre as experiências doces e dolorosas da vida... e sobre o quanto é importante ter uma mão amiga para nos ajudar a superar as nossas dificuldades."

Bom, é isso por hoje meu povo.

Beijos

<3
Olá pessoal

Eis que estou de volta para mais uma conversinha, dessa vez sobre o livro O pacto Cassandra de Robert Ludlum & Philip Shelby. Li Robert Ludlum há muitos anos e não me lembrava do estilo eletrizante de seus livros.

História de conspiração governamental, traições, cheios de agentes secretos por todos os lados, heheh
Ambientado na Rússia e também nos Estados Unidos, com envolvimento do próprio presidente dos EUA e lógico, um agente fodástico para resolver os mistérios, pegar os assassinos, conspiradores e desbaratar a rede de espionagem.

Gostei muito do livro e o devorei, porque é daqueles que você quer ler mais um pouco para ver o que acontece em seguida.

Indico para quem gosta do gênero!

O agente da ultra-secreta agência Covert-One, cujos membros se reportam exclusivamente ao presidente dos Estados Unidos, Jon Smith vai a Veneza para dali retirar Yuri Danko, um importante contato russo. Mal o encontra em um café da Praça de São Marcos, vê Danko ser metralhado e, na caça aos assassinos, só tem tempo de ver o barco no qual fugiam ir pelos ares. Mas um seu colaborador consegue aproximar-se do morto e obter, de anotações, uma palavra: Bioaparat. Assim começa a missão deste médico e ex-oficial do Exército americano que, em pouco tempo, descobre que um grupo está tentando roubar do Bioaparat — centro de pesquisas e de fabricação de armas de guerra biológica da Rússia — uma amostra do vírus da varíola, um dos mais letais do mundo. 

Bom, então é isso por hoje.

Beijosss

<3
Olá pessoal

Eis que estou de volta com mais um livro lido e não sei porque cargas d'água eu insisto em ler algo que não gosto, nesse caso, um livro juvenil...alguém sabe me explicar o porquê?

Esse me foi recomendado por duas amigas e elas me disseram que era triste e choraram e tals, ai fui eu feliz da vida achando que ia chorar litros e nada minha gente, posso dizer que derramei duas lágrimas! rs

A história é triste realmente e nos mostra uma realidade cruel e muito bem escondida, de lares abusivos, fanatismo religioso, conivência de um dos pais em relação à esse abuso, abandono, etc e etc. Por essa temática eu digo que não foi uma perda de tempo, mas só por isso. Achei a narrativa cansativa e sério, tinha horas que me perguntava se a Rebecca era doida e estava imaginando tudo aquilo, rsrsrs, porque o lance de ver e conversar com a irmã morta foi super estranho.

Mas enfim, tarefa dada é tarefa cumprida, ele estava na minha TBR do Leitura Inesquecível e agora já posso riscá-lo da lista. Também é o livro da semana 29 do #52em52 e vamos que vamos para os próximos.

Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda e voluntariosa, Reb sofre da Síndrome de Treacher Collins — que deformou enormemente seu rosto — e é mais cuidadosa. Apesar de suas diferenças, as garotas são como quaisquer irmãs: implicam uma com a outra, mas se amam e se defendem. E também guardam um segredo terrível como só irmãos conseguem guardar. Um segredo que esconde o que acontece quando seu pai, um religioso fanático, tranca a porta de casa. No entanto, quando a ousada Hephzibah começa a vislumbrar a possibilidade de escapar da opressão em que vive, os segredos que rondam sua família cobram-lhe um preço alto: seu trágico fim. E só Rebecca, que esteve o tempo todo ao lado da irmã, sabe a verdadeira causa de sua morte... Hephzi sonhara escapar, mas falhara. Será que Rebecca poderia encontrar, finalmente, a liberdade?


Bom, é isso por hoje.

Beijos e uma boa semana a todos!

<3