Olá pessoal

Hoje foi ao ar no canal do youtube o vídeo com as minhas impressões sobre o livro Pais e Filhos do russo Turguêniev e preciso confessar que não funcionou muito para mim, achei tudo bem morno e mais ou menos.

Porém na descrição do vídeo segue links de outros booktubers que leram e tiveram opiniões adversas, então vale a pena conferir e sim, ler a obra e tirar suas próprias conclusões, ok?


Abraços

<3
Olá pessoal

Eis que terminei mais um livro muito muito bom...pra começar o livro foi um presente de uma amiga querida, a Bella Nine,  só por isso já garrei amor nele, a capa é maravilhosa, mas o conteúdo é que faz toda a diferença...

Elena Ferrante é uma incógnita, visto que ninguém conhece a autora, não sabe se é autora ou autor, existe então um misteriozinho já logo de início, partindo da autoria do livro (e eu particularmente achei o livro meio auto-biográfico) hehehe

Vamos lá, é um romance de formação onde narra a história de duas amigas que moram em um bairro pobre de Nápoles, Itália. Lena e Lila são meio que opostos que se atraem e desenvolvem uma amizade sincera, porém em todo o decorrer do livro temos Lena como narradora e ela nos deixa entrever momentos de inveja e incompreensão envolvendo a querida amiga Lila, é bem uma relação complexa, mas simbiótica ao mesmo tempo. (Acho que só lendo mesmo pra entender melhor isso) rs.

Passamos pela infância dessas meninas, adolescência e início da vida adulta. Lila é sempre a que mais se destaca e a vemos o tempo todo pelos olhos de Lenuccia (Lena) que ama a amiga e está sempre envolvida em sua vida e seus mistérios.

Lena é uma personagem mais corriqueira e normal aos nossos olhos, boa filha, boa aluna, esforçada e comum.
Lila é aquela persongem mais misteriosa e interessante, inteligentíssima, mas que lhe falta oportunidades na vida para ser alguém, para fugir da mesmice e normalidade...e acaba vivendo situações clichês (mas sempre com uma pitada a mais).

Enfim, é um ótimo livro e óbvio quero ler os outros 3 dessa série (série napolitada) de Elena Ferrante.

Fica a dica de uma boa leitura!!!!


A Série Napolitana, formada por quatro romances, conta a história de duas amigas ao longo de suas vidas. O primeiro, "A Amiga Genial", é narrado por Elena Greco e cobre da infância aos 16 anos. As meninas se conhecem em uma vizinhança pobre de Nápoles, na década de 1950. Elena, a menina mais inteligente da turma, tem sua vida transformada quando a família do sapateiro Cerullo chega ao bairro e Raffaella, uma criança magra, mal comportada e selvagem, se torna o centro das atenções. Essa menina, tão diferente de Elena, exerce uma atração irresistível sobre ela.

As duas se unem, competem, brigam, fazem planos. Em um bairro marcado pela violência, pelos gritos e agressões dos adultos e pelo medo constante, as meninas sonham com um futuro melhor. Ir embora, conhecer o mundo, escrever livros. Os estudos parecem a melhor opção para que as duas não terminem como suas mães entristecidas pela pobreza, cansadas, cheias de filhos. No entanto, quando as duas terminam a quinta série, a família Greco decide apoiar os estudos de Elena, enquanto os Cerrulo não investem na educação de Raffaella.As duas seguem caminhos diferentes. 

Mais que um romance sobre a intensidade e complexa dinâmica da amizade feminina, Ferrante aborda as mudanças na Itália no pós-guerra e as transformações pelas quais as vidas das mulheres passaram durante a segunda metade do século XX. Sua prosa clara e fluída evoca o sentimento de descoberta que povoa a infância e cria uma tensão que captura o leitor. 

Bom, é isso por hoje pessoal!

Beijinhos e ate a próxima leiturinha...

<3
Olá pessoal

Mês passado eu li o primeiro livro da série Os Tudors e esqueci de comentar aqui com vocês, como já postei aqui no blog a conversinha do segundo livro da série, acho justo falar um pouquinho sobre esse primeiro livro também, né?

Catalina de Aragão, princesa espanhola, desde muito pequena prometida ao príncipe da Inglaterra (Artur), cresceu cercada pelas irmãs e em eterna campanha com os pais nas conquistas de reinos que ambos consideravam "impios". A mãe de Catalina, a rainha espanhola Isabel era uma religiosa (católica) fervorosa e abominava todas as outras religiões existentes no mundo e tomou para si a missão de destruir todas que pudesse.

Catalina cresceu então uma menina virtuosa, sabia e erudita e antes de mais nada com a certeza que um dia seria rainha da Inglaterra. Na idade de se casar foi enviada à Inglaterra (afinal essa aliança entre Espanha e Inglaterra era algo importantíssimo para a política entre os países na época) e se casou com o príncipe Artur. Se apaixonou por ele, porém ele morreu logo após casarem e ela ficou em uma situação desoladora por vários anos, mas no leito de morte de Francis prometeu que se casaria com seu irmão caçula e seria sim a Rainha que a Inglaterra precisava.

Após vários anos reclusa e praticamente pobre, foi fiel e leal à essa promessa e enfim conseguiu seu intento e se casou com o príncipe caçula que após o casamento com Catalina passou a se chamar Henrique, ela também abandona o nome espanhol e passa a partir daí a ser chamada Catarina.

Catarina foi uma rainha fantástica, linda, muito inteligente e versada nos assuntos do reino, das guerras e com uma habilidade incrível de moldar o Rei Henrique, um ser mimado e imaturo ao homem que deveria ser.

Super vale a pena ler a história dessa princesa e rainha fenomenal.

Indico.


No imaginário popular, Catarina de Aragão é vista como a rainha desprezada por Henrique VIII, a nobre trocada por Ana Bolena, plebéia da corte dos Tudor. Philippa Gregory, autora de A irmã de Ana Bolena, recria a infância e a juventude da infanta de Espanha. Criada no palácio de Alhambra, em Granada, Catarina fora prometida aos três anos de idade a Artur, príncipe de Gales. No entanto, a morte prematura do jovem após o casamento, fez com que Catarina se unisse a Henrique VIII, irmão mais novo de Artur. A partir de um dos episódios mais singulares da história inglesa, Phillipa Gregory nos oferece uma romance delicioso.

Bom, é isso por hoje pessoal

beijosss
Olá pessoal

Eis que terminei esse livro fantástico, porém difícil de ler, ow leiturinha que não flui e foram 626 páginas, um verdadeiro calhamacinho né?
Mas o que importa é que está finalizado e gostei demais do livro, achei um livrão, posso dizer que gostei mais até do que o primeiro da série (Os Tudors #1 - A princesa Leal).

Incrível ver como a corte inglesa era fútil, como Henrique foi um tirano devasso, um menino mimado que nunca cresceu, nunca amadureceu e moldou todos à sua volta e também mudou leis para se auto favorecer e sempre fazer valer a sua vontade e palavra (e também devaneios).

Mulherengo convicto, instável e maleável também, inteligente porém sempre precisando de alguém mais inteligente ainda por trás o incentivando e empurrando para as tomadas de decisões.

A história toda é narrada por Maria Bolena, uma garota que aos 14 anos se vê empurrada pela família a ser amante do rei, o fato de já ser casada não impede o projeto e ela por alguns anos é a favorita do rei, menina dócil e que gostava da Rainha Catarina e se entristecia por trazer tantas tristezas a essa rainha espetacular.

Aos poucos o interesse do rei por ela é suplantado pela sua irmã Ana Bolena que é muito mais vivaz e ambiciosa. Ana é de uma inteligencia ímpar e incansavelmente conquista seu lugar ao lado do rei, porém não é feliz com as suas maquinações e após 10 anos de reinado sobre o rei, vê sua casa cair.

Para quem gosta de livros históricos, esse é maravilhoso e super indico!


Aos 14 anos, a inocente Maria Bolena, sua irmã mais velha, Ana, e o irmão George chegam à corte. À época, as grandes famílias aristocratas habitavam os arredores do palácio real e ter uma mulher de sua prole nas proximidades do leito do soberano era garantia de ascensão social. A doçura e beleza de Maria chamam a atenção do rei Henrique VIII. Como nova amante de Henrique VIII sua aventura amorosa é incentivada pelos irmãos. A conspiração da família, no entanto, sofre uma reviravolta e Maria precisa declinar de seu sonho e amor em nome de sua melhor amiga e rival - Ana. A irmã se aproveita da ausência de Maria durante um curto período e conquista a atenção do rei, substituindo Maria no papel de primeira-amante. Mas Ana quer mais do que isso, seu desejo de tornar-se rainha não tem limites e, ao mesmo tempo em que cresce o desejo de Henrique VIII por um filho legítimo, Ana planeja o que fazer para se livrar da esposa dele. Vai ser tornar rainha doa a quem doer. Toda a família Bolena envolvida em uma intriga ainda maior - a dissolução do casamento do soberano com Catarina de Aragão. Um dos períodos mais agitados da corte dos Tudor narrados com extrema eficiência histórica. Considerados o melhor romance do ano em que foi lançado.

Bom, é isso por hoje, até breve!

Ah, com esse livro participo dos seguintes projetos/desafios:
- Desafio Esquecidos na Estante do Recanto da Mi
- Projeto #52em52 - Semana 62
- Projeto Tem que ler mesmo - Europa
- Leitura inesquecível - inverno

beijosss
Olá pessoal

No início da semana foi ao ar no canal no youtube a resenha da primeira novelinha do Balzac que eu li para o Projeto Lendo a Comédia Humana.

Foi uma leitura gostosa (depois que me acostumei com a escrita do Balzac) e falo mais sobre tudo isso lá no vídeo.

Vem espiar!!!


Esse ano está sendo o ano das descobertas de autores maravilhosos e livros surpreendentes e apaixonantes.

É o que acontece com esse autor brasileiríssimo e que escreve nos embalando no colo, livros que aquecem o nosso coração, ou seja, livros amorzinhos, rs

Veja o vídeo no canal do youtube e se apaixone também pelo Carrascoza!


O mês de junho foi um ótimo mês para as minhas leituras e no total li 11 livros e 1 HQ! Ual!

Apesar de alguns livros terem poucas páginas como os do Carrazcoza e do Mia Couto (porém esse último é uma leitura densa então até parece que tem umas 500 rs) também li 2 com 500 páginas em média.

Gostei da maioria das leituras que fiz e me apaixonei perdidamente por Mia Couto e João Anzanello Carrascoza. Falo mais sobre todas as leituras no vídeo do canal do youtube.

Espero vocês lá!!!!


Olá pessoal

Volto com mais um livro lido em junho e que não tinha atualizado aqui no blog.

Meu primeiro contato com a escritora Patricia Highsmith e posso dizer que amei demais e super quero ler outras coisas que escreveu (apesar da autora ser considerada enigmática e até antipática), ela escreve super bem, constrói maravilhosamente as personagens e me cativou totalmente.

Apesar de não ter amado o livro, ainda assim gostei e acho que super valeu a pena pelo estilo meio retrô a que ele nos remete.

Falo mais sobre as minhas impressões no vídeo postado lá no canal. Aguardo você por lá!!!


Olá pessoal

Já está no canal o video com os livros novos que chegaram aqui em junho.

Bora espiar!!!